13 de dez de 2009

Pois é...Natal chegando, as pessoas correndo feito loucas e a vida continua com passos tranquilos sua caminhada certeira...





1 de dez de 2009

Pausas...

Quem me acompanha a mais tempo, desde a época do primeiro Solidão de Alma, sabe que nessa época eu dou um "break" nos blogs, nos grupos e nas listas... Enfim...É chegada a hora de viver um pouco mais o mundo real. Sempre que possivel e no tempo permitido, postarei algo e visitarei os amigos. Deixo aqui meu carinho e agradecimento pelas visitas que retribuirei. Um beijo em todos.




19 de nov de 2009

Meu Poeminha em Cartão (1)


Beijos em todos que aqui vierem e um Feriadão cheio de
alegrias... Também vou reinventar algumas
paisagens...





14 de nov de 2009

SOLIDÃO...
Sonia Pallone

"...Um barco ao entardecer na beira do cais...
Retrato do fantasma
de uma solidão que sufoca,
como se o peito estivesse cheio de ar
e eu não pudesse expelir...
Uma aridez
que transmite o desejo de ocultar
da própria esperança,
o sonho de repousar no colo do ser amado
e sentir, finalmente,
degelar um coração vitrificado ..."

3 de nov de 2009


ENTREGA
Sonia Pallone


"...Te entrego esta noite
de estrela apagada
e o olhar tão despido
de sonho e de vida...
Te entrego meus dias andados,
os sonhos negados
meus beijos ausentes...
Te entrego a existência sentida
Meu louco passado
e meus dias distantes...
Hoje sou eu
quem tem os olhos cansados,
pela ausencia do tempo
e pela falta do teu olhar...
É noite porque já é hora
É silencio porque há nada
Chove porque o céu
chora comigo
e esconde a estrela que eu mais quero
nesta hora de abandono..."


28 de out de 2009


SER FELIZ...
Soni@ Pallone

"...Numa desefreada busca à felicidade,
não percebi que ela é apenas
um estado de espírito
e tantas vezes esteve dentro de mim
sem que eu percebesse...

Ser feliz não existe.
Estar feliz sim.

Estou feliz porque assisti a um filme
que me emocionou.
Ouvi uma música linda.
Vi pessoas que eu amo.
Fiz um bonito trabalho.
Recebi carinho dos amigos.
Bebi água fresquinha da fonte.
Vesti uma roupa de cores tão lindas!

Caminhei pelas alamedas
enquanto o vento
me afagava o rosto
e as árvores saudavam
a minha passagem...

Estive feliz nos instantes
em que tantas vezes ouvi
"te amo"...
Tantos abraços reparti.
Tantos sorrisos me brindaram.
Tantas estrelas
brilharam pra mim.
Tanto tempo Deus já me deu!...

Fui feliz quando arrumei os livros na estante.
Coloquei as flores na mesa.
Pintei um quadro pra mim.
Tirei fotos da natureza
do sol, da lua, do jardim...

Enfim...

Se eu tivesse olhado
com mais carinho
pra tudo aquilo que eu fazia e tinha,
e esquecesse um pouco
o que eu não tinha mais...

Eu entenderia que a felicidade
é tudo aquilo que Deus nos dá
Tudo aquilo que a gente já trás...

Presentes que fazem uma vida
bonita ou sombria
Depende de como usá-los
no nosso dia a dia..."

6 de out de 2009

RELUZ
Soni@ Pallone

"...Todo veneno já foi expelido
Toda heresia já foi rezada
Nada resta do ódio
Nem do vazio...

Depois de tantas marcas no caminho
De tanto amor em desalinho
Uma luz no fim da estrada
Lua nova clareando o mundo...
E você anjo sem asas,
No meio dela invadindo tudo
Quebrando as regras e deixando mudo
meu universo de amor..."

29 de set de 2009

Melodia do Coração


Melodia do Coração
Soni@ Pallone


"... Pisei nas cicatrizes e não imaginei
que elas poderiam virar raízes...
Acendi a dor dos esquecidos lampiões
e me tornei pálida, extingüida...

Meu lamento ecoa na noite
e as estrelas me pedem socorro...
Sinto a quietude do mundo
num espaço vazio de sentimentos
e o meu olhar parado no espelho
reflete só o que a melancolia
da melodia revela...

Massa viva eu sou,
remexendo amor e dor
Não sei se fica ou se passa...
Não sei se é alegria ou desgraça
Mesmo assim eu fiz de mim
o melhor da minha história..."


20 de set de 2009

O TEMPO



O Tempo
by Soni@ Pallone


"...O tempo gira displicente
no contorno das horas
Enquanto os dias nascem
e se desfazem ...
Trêmulas sombras
dolorosas e pensativas,
extraviadas da realidade,
seguem abraçadas a
noite de ninguém..."

12 de set de 2009


LIVROS ANTIGOS

Soni@ Pallone



"...Livros antigos,

encadernados,

preenchiam meus dias de chuva,

com seus personagens

abrigados em histórias aconchegantes...

De tons diversos,

coloriam a velha estante

e embora tudo isso

esteja tão distante,

ainda enxergo a menina

debruçada nas páginas

com olhar de encanto..."


28 de ago de 2009

E SE UM DIA...



E SE UM DIA...
Soni@ Pallone


"...E se um dia eu deixar de ser???
Ficarão por acaso as lembranças...?
Ausencia sentida,
momentos só nossos?


Estarei ainda em você
tal qual a estrela que te namorava
em noites escuras?
Ou desaparecerei simplesmente
sem deixar marcas, canções?

Todos os vestígios cobertos
pelo tempo do esquecimento...
Será?...

O que ficará de mim
quando eu deixar de ser
em você?.."


23 de ago de 2009

VOLTA...



VOLTA...
Soni@ Pallone

"... É o instante que tarda...
Que custa tanto por medo do amor que eu plantei.
Deixa que seja só eu... Fica em mim...
Nasça ou morra aqui.
O minuto tem medo porque o amor é tanto
dentro do espaço tão longo que eu fiquei sem te falar...
Se eu não tiver forças,
mata por mim o tempo da volta.
Não quero regresso pra não ter que haver partida.
Não me importo com a espera mas...
Não quero mais a despedida. Nunca mais.
Volta.
E pára no tempo da chegada.
É triste. São marcas.
Que me importa? Volta.
É pranto. Sou nada.
Realmente, não me importa...
Só quero que volte..."

18 de ago de 2009

INCERTEZAS


INCERTEZAS

Sonia Pallone



"... Já não sei se quero...
Os farrapos se juntam em um lugar qualquer,
cantando um hino de liberdade
totalmente bêbado no compasso...
Sementes de uma elite mal fecundada

que não brotam na terra do sonho...
Escorrego no tempo e o universo me sorri de longe.

Transparente, sem cheiro,
sou essência nesse frio que transita entre os corpos.
Teria me escapado das mãos

o que me reserva o futuro?
A expectativa se esvazia em música.

O CD gira enquanto rolam meus pensamentos...
A deriva estou ..."



2 de ago de 2009

Saudades


Saudades

Sonia Pallone


"...Quisera eu fazer
você sentir as mesmas coisas que sinto,
mas, confesso, não fui capaz...
Há dores que sulcam fundo, nunca desaparecem...
Entrei cega nessa paixão
e deixei meu peito vulnerável para que se abrisse a ferida
que nunca cicatrizaria,
expurgando lembranças doloridas
de corpos, nomes, tempos e lugares...
Hoje, no meu céu sem estrelas,
uma nuvem cinza de lembranças
permanece intacta,
atravessando as noites
e buscando uma explicação para estar ainda ali,
separada apenas por um tênue fio
que divide a saudade
e o tempo que não passou..."

27 de jul de 2009

DESENLACE



DESENLACE
Soni@ Pallone


"...Anseio por uma identificação tão anônima colada no meu íntimo, mas não sei o preço que isso me caberia... Romper os vínculos, os cordões, o sentimentalismo que sempre me moveu...

Depois de muito pranto, sorrir um riso feliz, sem tempo de chegada ou de partida...Sem achar que me violentei por derrubar o muro que me prendia, porque a violência foi minha, enquanto me submeti e me envergonhei de mim e do meu medo...

Desprendi-me como se desprende a alma sem sofrimento depois da morte... E agora quero ficar assim, como um fantasma sem correntes, até que a ausência de sentidos me empurre docemente para dentro de uma noite pacificada, fresca e sem mistérios..."



17 de jul de 2009

Balada da Inspiração



Balada da Inspiração
Sonia Pallone

"...Converso com a minha poesia,
depois das cinco da tarde
quando o sol já morre devagar...

À minha inspiração entrego
o que escrevo no peito trincado...

E no sulco marcado
Eu mergulho e deixo
uma pedra no fundo..."

28 de jun de 2009


Atrás da Porta

Soni@ Pallone


"...Atrás da porta coloquei de castigo o impossível...

Enchi os espaços vazios com o tempo que vi passar

e no calor que trago em meu corpo

vou queimando o querer ser feliz...

Vagando de um lado para o outro,

amo e repudio mil vezes as mesmas coisas...

Nos relógios parados ou não,

tenho as horas imutáveis,

e dentro desse corpo em febre,

trago um amor guardado em mim...

Observo de olhos vigilantes

que minúsculas estrelas piscam lá do alto,

vivendo da noite escura e silenciosa...

É a esperança de que preciso

mesmo que o cansaço rasteje...

Mesmo que me fuja a razão...

Sonhos esgarçados povoam minha mente e vontade,

enquanto a lassidão da espera

me traz inícios de visões...

Um grito mudo me acalma.

Sinto a minh' alma resfriada..."

23 de jun de 2009

DANÇA TANTA...



Dança Tanta
Soni@ Pallone


"...Ando com falta de espaço
e com medo de me embrenhar
Ando sem tempo pra nada
de viver, ser feliz, sonhar...

Tanta andança inacabada,
As marcas,
as cicatrizes!
Tanta mágoa ciumenta
Tantas cscolhas infelizes...

Céu e sol sem primavera
prantos e desatinos
tantos sonhos e quimeras
tanta fé num só destino ...

Tanto faz, já pouco importa
Mais um rumo incerto e torto
Mais uma esperança morta..."

11 de jun de 2009



Queria
Soni@ Pallone

"...Queria a paz aquietante
para o cansaço no fim de tarde...
Um único laço
Duas almas
Um só abraço...

Queria o murmúrio esquecido
nas profundezas insondáveis de
póstumas muralhas intocáveis...

Queria a sabedoria no interior da mente,
no exterior das mãos
Ser razão e coragem simultaneamente...
Sobreviver com intensidade de alma
e depois serenar feliz..."

2 de jun de 2009



Simplesmente (prosa poética)
Soni@ Pallone

"...Hoje não vou poetar, vou apenas 'divagar'...Sentar-me aqui, e olhar a tela em silêncio, imaginando vocês, um por um, como quando me sento à mesa do café e olho a natureza agradecida, e dela, cada detalhe... Dividir um momento, é isso... É bom demais fechar os olhos e sentir essa impressão boa, seja ela qual for... um cheiro, uma sensação, uma carícia, a brisa nos cabelos, uma música bonita que vem de longe, ... Viver intensamente um momento de simplicidade....

Um dia pousei aqui em Atibaia. Resolvi fincar meus pés nesse rincão. Investi nesse verde, nessa solidão enriquecida e privilegiada de um silêncio com som de pássaros, de vento, e até mesmo dos próprios passos...É bom demais ! Só quem tem essa empatia com a natureza sabe do que estou falando! Numa das minhas caminhadas durante a noite, respirando um ar que fica ainda mais denso nessa hora, notei que as árvores, mostravam um bale de luz num compasso incrível de folhas que balançavam ao toque da brisa forte. Era o reflexo da tranquilidade do lago, que estático aos pés do imenso jardim de árvores, cansou da dança solitária e acordou a água que dormia...Revolta pelo vento, as pequenas oscilações de prata insinuaram-se para os galhos, formando assim uma coreografia fantástica de magia e beleza. Foi um momento singular que me emocionou mas que não conseguiria fielmente descrever. Como testemunhas, só a minha sensibilidade e a lua ... "

31 de mai de 2009


Abrigo
Sonia Pallone

"...Só te deixei
para encontrar a mim mesma...
E depois de correr entre os ventos
e me embrenhar nos caminhos
Acabei voltando
para os seus braços...
Ali é o meu verdadeiro lugar..."

22 de mai de 2009



Ilusão Colorida

Soni@ Pallone


"...Minha ilusão

é como uma margarida

pintada de todas as cores...

De repente elas se transformam,

e de tão intensas,

conflitam-se entre si...

E então as pétalas caem

e voltam a ser, todas elas,

da mesma cor...

Assim como a realidade permite...

Margaridas brancas...

Ilusões adormecidas..."

15 de mai de 2009

Cilada das Palavras




Cilada das Palavras
Soni@ Pallone



“...Para extravasar o que sinto, existe uma necessidade fremente de me colocar num espaço vazio e me deixar ficar no ponto central, sugando as energias das formas, das cores, dos sons...

Então passo a existir perceptivamente, mesmo que exista nisso, um certo risco que lacera minhas carnes e implode minhas angústias...

Tenho um certo receio da cilada das palavras... De embarcar em suas vozes rumo a uma viagem de compreensão dúbia e perigosa...

Palavras revelam mentiras, escondem verdades, quase sempre brincam de olhar nos olhos e adivinhar o perfil da alma...

O trajeto entre o eu-pessoa e o eu-palavra é uma distância cujo caminho é a contemplação de várias paisagens periféricas dentro do meu interior...

Nasce assim, o gesto bom de escrever e minha mão, intuitivamente, mergulha na água desse meu entendimento, íntimo e profundo...”

21 de abr de 2009

Volto logo...




Queridos amigos, devo deixar aqui um recadinho justificando minha ausencia por algum tempo. Estou mudando de residência essa semana e hoje já pedi o desligamento da minha linha, portanto só poderei retornar depois que tudo estiver normalizado por aqui. Já estava me acostumando novamente com esse prazer tão bom de ler os amigos, deixar recadinhos e interagir com a poesia gostosa de todos vocês. Mas esse é um momento que estou curtindo, mesmo porque, reiventar paisagens é reinventar a vida...Vou torcer para tudo se resolver rapidinho e eu poder voltar correndo pra companhia de vocês. Enquanto isso, fiquem com meu carinho e amizade. Beijos meus.


18 de abr de 2009

A voz do infinito



A Voz do Infinito
Soni@ Pallone

"...Nomeio minha inspiração
de ave ou de rio,
de céu ou de inverno,
e em cada palavra
um coração pulsa...
Em cada gesto
uma nota vibra ...

Versos lembrados
de uma adolescência solitária
Memórias iluminadas pela
voz do infinito

O homem e seus desígnios
Vôo sem destino
Reta sem chegada
Cansaço de ir e ir...

Uma imensidão me abraça
com braços invisíveis
e eu acolho os carinhos
que me faltam...

Percurso sem lógica de palavras?
Talvez.
Mas tem alguém entrelinhas...
Eu sinto. Eu vejo.
Eu alcanço.
Eu compreendo melhor outra alma
A minha não.
A minha me prega surpresas...

Espelho de água parada,
me indago se sou eu mesma
ou se sou apenas reflexos
que a noite pode ocultar..."

13 de abr de 2009


VIAGEM NO TEMPO
Soni@ Pallone

"...Tantos carinhos e sorrisos
desfigurados pelo mofo do tempo...
Ficaram apenas nas fotos.
Na saudade.
Nas angustias...
No jeito de uma viagem
que sempre pode ser feita...
Um itinerário a percorrer nas horas
engulidas pelos anos.
E pode-se dizer quem sabe
- Um dia já foi assim -
Um dia, quase tudo
já há de ter sido assim...
E um outro sorriso vem
disfarçado pela lágrima
no olhar de quem sabe o que chora..."


9 de abr de 2009


TRANSFERÊNCIA
Soni@ Pallone



"...Mudei de mim.
Saí na busca inconsciente de outras praias...

Resido neste instante no vento...
No campo...
Na estrada...
No tempo que espera, não determina...
Sem pressa, sem medo, sem graça...
Sem ter que chorar porque magoa,
sem ter que dizer adeus porque já acabou...
Sem lamentar porque
ainda "é"...


Fugi de mim.

Estou comigo e não me vejo.
Nem com os olhos da face,
nem com os sentidos da alma.
Ceguei tudo.
Cerrei as portas.
Mudei de endereço..."


6 de abr de 2009



Surrealismo
Sonia Pallone

"...Histórias de ficção
não cabem na minha realidade
e desculpas já não me convencem.
Palavras doces são feitas por engano...

Cores sobrepostas me prendem
a uma tela imaginária,
são dores do meu tempo refletidas nas tintas...

Ajudei a criar meu personagem concreto,
que me tira do tédio e ressurge na noite...
Nessa fuga ao real,
sinto que encontrei o motivo
de procurar em mim mesma
as razões das mudanças...

Voltar ao início de tudo,
nas eternas entregas,
nos corpos alados,
na verdade dos versos
que fizeram a diferença..."



2 de abr de 2009



PRA VOCÊ...
Soni@ Pallone


"...Num passeio pela noite,
num abraço de descanso,
quero te contar as minhas coisas...
Te revelar a nudez deste amor
junto com a sombra leve da paz

Terna. Eterna...

Trago comigo uma cantiga de encantar,
que fala do caminho percorrido
e de um olhar sincero...
Da presença da palavra na hora certa
e da tua companhia...

Trago comigo minha poesia
pra te acompanhar todo o tempo...
Viajar com você no espaço e nas horas,
levando junto o perfume do ar
e a solidão eterna do lírio..."

31 de mar de 2009

IMAGINANDO-TE
Soni@ Pallone


"...Nas tuas margens
reflete o meu desejo, ausente...

Na saudade que ainda não veio,
fertilizo um amor que não fala,
mas responde "sim"...

Agrido um horizonte
construindo um reduto
e caminho no teu rosto imaginário
esculpindo-te com as mãos...

Seu corpo, planície aberta,
retiro de sonhos
para os meus desvãos..."


23 de mar de 2009


Palavra Muda
Soni@ Pallone

"...Dói tanto saber
Que este silêncio tolo que se arrasta comigo
Cresce no dia a dia,
Me envolve, assombra e arrepia
Dança, embebeda e nem assim
me serve de consolo...

Dói-me saber
que esta palavra muda
Que escorrega tranquila na garganta,
Provoca, fere e me espanta o interior...
Remexe, brinca e não resolve,
nada muda...

Dói-me saber enfim
Que amordaçada, a boca se reprime
E acorrentados,
os pés e mãos de gestos descontentes
Desistem da luta,
Adormecem,
E eu fico com a minha dor
sem saber de nada..."

20 de mar de 2009


FALANDO DE AMOR
Soni@ Pallone


"...Quiz ser só eu no descompasso inicial
do teu sonho de amor...
Ave fugitiva que chegou depois
fazendo de nós, algo novo e antigo,
um pára-brisas limpando
permanentemente a chuva do que passou...
Amor anônimo...
Uma rosa-dos-ventos linda e louca
refletida em nossos olhos tão comprometidos e
despercebidos por outros...
Jogamos fora as fórmulas
e entramos de cabeça
num amor de loucura,
sem perceber ao certo
que um dia o sonho acabaria
e que a realidade
tão veementemente ignorada
seria aquela que nos acolheria
após negarmos o nosso chão..."

18 de mar de 2009

RETIRANTE
Soni@ Pallone


"...Andarilho de passos incertos
que não tem hora de chegar
nem teve tempo de partir...
Parado, assim, no meio do caminho
feito palavras ditas em pedaços,
sem aconchego nos versos,
sem melodia na canção...
Eu já te amava há muito tempo,
só não sei onde nem quando...
Um amor de desencontro perturbado e silencioso
De passos trôpegos pela estrada contrária...
Amor que ficou no meio...

Corpo. Ponto de partida ...
Coração. Refúgio dos meus medos...
Lugar sagrado para os nossos tantos
e infinitos segredos..."

16 de mar de 2009

Lembrança sem Voz
Soni@ Pallone

"...Sou um grito de socorro sem a garganta gritante
Visgo do fogo simulado
Gemido de criança com medo...
A mão que me feriu morreu,
não viveu pra acarinhar...
Densas nuvens flutuam sobre essas lembranças,
enquanto consumo o quinhão que me resta,
ocultando em meu corpo
rumores habitados
nas veias do meu silencio..."

11 de mar de 2009


REFLETIDA NO ESPELHO
Soni@ Pallone


"...Pensar que é encontro,
mas é desencontro...
Esconder o pranto de vergonha
e plantar um canto na garganta...
A esperança é remota,

a vida é vaga e novamente eu tento
sem querer me enganar...
Buscar sentido
no que já não faz mais sentido...
Forço a lembrança do que já não é
e somente no espelho me acho...
Renego meus olhos vermelhos
cabelos tingidos,
o rosto marcado,
coração apertado...
O espelho não tem culpa
de me mostrar infeliz...
Ingrato e irreverente
deformou minha esperança
e agora me angustia...
E sai noite e entra o dia
em sã consciência me calo...
Chega a nostalgia e me bate à porta,
levando consigo a calma
de ver exposta minh'alma
no espelho que me engoliu,
que me olhou de frente
e mesmo assim
não me viu..."



10 de mar de 2009


FILOSOFIA
Soni@ Pallone

"...Ah! o meu tempo!..
Só me traz solitário
o instante de haver e a razão de ficar...
Vou mudar meu caminho e renovar minha prece
Esquecer o antes e o depois
e viver durante um segundo
a razão da memória,
a esperança de haver
e a vontade de querer simplesmente...
Mesmo porque,
a vida sempre se acaba um dia
e com ela todos os temores,
todos os pecados,
toda a agonia..."
Coração Poeta
Soni@ Pallone


"...É branca a tela.

De vez em quando a luz indireta escreve

nesse curto espaço

à sombra da minha inspiração...

E eu desenho

os rabiscos desconexos

que traçam,

meu louco coração poeta..."



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...