12 de abr de 2016

CRÔNICA DO ÚLTIMO AMOR





CRÔNICA DO ÚLTIMO AMOR 
 Soni@Pallone  



Adeus vida urbana,
 sua superficialidade e desgastes emocionais 
Não te quero mais luz de estrela artificial ...
 Adeus vaidade sem sentido, preocupações extrínsecas,
 tanta gente e muita solidão... 
Enterrei essa ilusão e dormi o sono profundo 
do cansaço de tudo... 
Acordei aqui, na noite clara,
 iluminada pelo lampião dos vaga-lumes...
Pelo cristal brilhante das estrelas verdadeiras
 e da lua namoradeira que os dedos quase alcançam... 
Renasci aqui, no meio do verde,
 onde as árvores fazem amor com o vento
 gemendo numa dança incoerente e sensual... 
No colorido das margaridas expostas
 como as mais preciosas jóias esculpidas pelo artesão do céu...
 Adeus sim vida urbana. 
 Depois de ter vivido todos os capítulos da minha história, 
sem vírgula nem travessão, quero encerrar aqui minha breve passagem, com um ponto final digno... 
Fechando um parágrafo que disserta lindamente 
sobre a crônica de um amor entre mim e a natureza...


6 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

E que belo amor, tão difícil de ser cultivado. Esta sua ode está demais.
Beijo e bom dia*

Tais Luso disse...

Que despedida!!! Concordo em tudo, Sonia, esse estresse, essa superficialidade, essas agressões gratuitas e tantas falsidades! Bela retirada para um novo ciclo que se abre, quem dera para a felicidade plena?

Beijos, querida!
Adoro te receber, amiga.

Vera Lúcia disse...


Que lindo, amiga!
Você é um luxo na escrita poética.
Quantos de nós não desejaria dar um adeus à estressante vida urbana, plena de luzes enganadoras e ilusórias?
A natureza é um pedaço do céu. Impossível não se manter um caso de amor com ela.

Beijão.

PS: Não consegui levar a foto para o meu arquivo de imagens. Se der, manda para mim por e-mail. Obrigada!

POESIAS SENSUAIS E CONTOS disse...

Cidade é realmente desta forma. Eu gosto mais da roça, do campo onde fui criado.

. intemporal . disse...

.

.

. ai . quanto e o quanto me vejo.e.re.vejo nesta poesia .

.

. há tanto que o meu sonho primeiro . aquele que está sempre presente . é mudar completamente de lugar .

.

. sair da vida urbana e voar até ao oriente e ficar . :) .

.

. muito.obrigado pela Sua visita . :) .

.

. um grande beijinho .

.

.

MARILENE disse...

Um texto poético encantador e rico de significado. Um adeus ao que machuca o olhar e a alma. Um abraço ao que ilumina, acrescenta e alegra. Bjs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...